29 Dezembro 2014
29 Dezembro 2014,
 Off

A In.Cubo promoveu no passado dia 17 de Dezembro o seminário “Aldeias de Mar: Visão e Instrumentos de Financiamento” no Centro de Remo em Viana do Castelo, no âmbito do Projeto “Aldeias de Mar”.

Esta iniciativa contou com a presença do Presidente da Docapesca, José Apolinário, que salientou a necessidade de revolucionar a pesca artesanal tal como ela existe hoje em dia, tornando-a mais competitiva, mais atrativa e mais dignificada, bem como realçou a importância que os chamados “mercados curtos comerciais”, podem ter para alcançar este desiderato, permitindo aos armadores aumentar as suas margens comerciais e o seu poder negocial, pela redução do número de intermediários da fileira do pescado, desde a pesca ao consumidor final. Para tal, José Apolinário, propõe-se a disponibilizar as inúmeras instalações da Docapesca ao longo da costa portuguesa que se encontram subaproveitadas para o desenvolvimento dos referidos mercados curtos comerciais, desde que existam projetos consistentes e sustentados.

No primeiro painel foram apresentados instrumentos financeiros de apoio á constituição de negócios, desde os tradicionais programas de apoio comunitário, ao capital de risco, business angels, ou apoio bancário.

Posteriormente, no segundo painel apresentaram-se alguns projetos apoiados pelo GAC Alto Minho através do Promar, entre os quais se destaca o Projeto Aldeias de Mar, desenvolvido pela In.Cubo.

Este Projeto teve como objetivo identificar uma estratégia de intervenção integrada e centrada numa visão para 2020, dirigida às comunidades piscatórias distribuídas de forma homogénea no espaço do Litoral Norte.

Por fim, foram apresentadas as ideias de negócio dinamizadas e acompanhadas pela In.Cubo, através da ação E+Promar: Produção de Algas; Conserva de Pescado; Organização de Eventos; Maternidade de Bivalves; Plataforma eletrónica de compra de Peixe; e Preservação de Património.

Francisco Araújo, apontou a necessidade de alicerçar no passado a visão de futuro de todos estes territórios costeiros é um desafio que o PROMAR pode ajudar a vencer no próximo quadro comunitário.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.